Veja dicas essenciais para evitar acidentes com crianças

Crianças pequenas são bastante curiosas. Elas aprendem sobre o mundo interagindo fisicamente com os objetos que encontram. Gostam de tocar, sentir e explorar. Também aprendem sobre as propriedades das coisas, enfiando-as na boca. Porém, a tolerância exagerada com seu interesse inato representa um risco.

O dia 21 de março também é marcado como Dia Mundial da Infância. Listamos neste post alguns cuidados importantes para evitar acidentes e riscos aos pequenos.

Dispositivos de segurança de instalação simples

Cercas e proteções auxiliam na segurança das crianças em pequenas situações dentro de casa:

  • Travas de segurança mantêm o conteúdo de armários e gavetas fora do alcance das crianças;
  • Portinholas impedem que as crianças entrem em áreas perigosas ou caiam de escadas;
  • Protetores de maçaneta e fechos impedem que elas entrem sozinhas nos quartos;
  • Molas e contentores nas portas e travas de chão protegem os dedos e as mãos das crianças;
  • Telas de proteção impedem a queda de janelas, balcões, deques e plataformas;
  • Plugues de plástico e tomadas com tampa impedem choques elétricos.

Cuirosidade: “Elas são abelhudas!”

Ao considerar a segurança da criança, tenha esses dois pontos em mente:

  1. A criança é naturalmente curiosa e ativa. Mas o senso de perigo e equilíbrio não se desenvolvem até que ela amadureça e tenha experiência;
  2. A casa é cheia de perigos para a criança. Você não pode impedi-la de ser curiosa e ativa, mas pode criar um ambiente seguro e livre do perigo.

Causas comuns de acidentes

  • As principais causas de acidentes com crianças são:
  • Intoxicação/envenenamento;
  • Quedas, cortes, mordidas de animais;
  • Sufocação e estrangulamento;
  • Afogamento;
  • Incêndio, queimadura e choque elétrico.

Na cozinha

Fique atenta para que a criança se mantenha longe de forno quente, chamas, fósforo, aparelhos ligados, fios elétricos, cabos de panela em uso, facas e objetos pontiagudos. Seque a água e o óleo logo que sejam derramados. Mantenha os cabos das panelas voltados para o centro do fogão para assim serem inacessíveis à criança. Deixe os fósforos em lugares altos. Líquidos e comidas quentes devem estar no canto da pia ou em lugar alto, nunca os deixe na beirada de mesa, pias e fogões.

Materiais de limpeza

Mantenha-os longe da criança. Nunca os coloque em garrafas de refrigerante, potes de margarina, geleia e outros recipientes de alimentos. Não os deixe fora do lugar “só por um minuto”, pois esse rápido tempo pode bastar para a criança sofrer um acidente.

Tomadas

Mantenha a criança longe delas ou cobertas e protegidas para evitar choques. Nunca deixe o ferro quente ao alcance da criança e desligado com a tomada ligada.

Banheiro

Cuidado com o armarinho que contém remédios, giletes, cosméticos, entre outros, deixe-o fechado e esses materiais longe do alcance da criança. Segure firmemente a criança ao banhá-la e vesti-la. Não permita à criança colocar sabão na boca e nunca deixe a criança pequena sozinha na banheira, mesmo por um minuto. Ela pode se afogar em menos de 15 cm de água.

Trânsito

Somente atravesse a rua nas esquinas, na faixa de segurança, olhando para os dois lados. Não atravesse a rua atrás de carros estacionados. Não brinque de correr ou “esconde-esconde” nem aposte corrida com a criança na rua. Ao atravessar a rua, segure a criança pela mão e ensine-a como se conduzir. Ela deve descer do passeio somente quando o carro terminar de passar.

Remédios

Os medicamentos, por vezes, apresentam-se em pastilhas coloridas e os produtos de limpeza, por motivos comerciais, costumam apresentar-se em envases de cores atrativas e vistosas. Por isso mesmo, é natural que sejam um motivo de atração para a criança e que esta deseje prová- los. Para impedir que isso possa acontecer, deveremos guardá-los em sítios altos e fechados com chave, ou com fechos de segurança. Não jogue fora remédios e pílulas na horta ou soltos no lixo. A criança pode achá-los. Despeje o líquido no tanque e enrole os comprimidos em um papel antes de jogá-los no lixo.

Texto: Andréa Oliveira (com adaptações)
Fonte: www.cpt.com.br

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: