Seguro residencial cobre custos com danos elétricos

A alta incidência de raios no Brasil traz consequentes prejuízos a milhares de pessoas, com danos frequentes em aparelhos eletrônicos danificados. São cerca de 78 milhões de descargas elétricas registradas a cada ano, que tornam o país com o maior índice de raios do mundo.

Esse número aumenta ainda mais em anos de ocorrência de fenômenos como o El Niño. Somente em 2012, ano do La Niña, o Brasil registrou 94,3 milhões de raios.

O reparo de danos contra descargas elétricas pode ser coberto por um seguro residencial. Este serviço vai muito além da cobertura contra incêndio: Cobre estragos provocados por enchentes, curto-circuito, roubos, vendavais e até queda de avião.

De acordo com a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), cerca de 15% dos proprietários residenciais brasileiros utilizam o seguro, mesmo este não sendo um investimento caro. Estima-se que o custo deste tipo de proteção fique em torno de 1% do valor do imóvel.

Mas, como funciona o seguro residencial?

O objetivo do seguro residencial é a proteção do patrimônio, seja somente sua estrutura física ou a estrutura e os bens mantidos dentro dela. O que este tipo de seguro vai cobrir depende do que o morador contratou.

O que o seguro residencial cobre?

O seguro residencial básico cobre o imóvel em casos de incêndio, queda de raio ou explosões, segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). O valor é calculado a partir do preço do imóvel e da estimativa de valor dos bens que o integram. A partir da cobertura básica, podem ser solicitadas coberturas adicionais, sendo danos elétricos, roubo, vendaval e responsabilidade civil as mais comuns.

Quanto a responsabilidade civil, refere-se a algo que estava sob sua tutela e prejudicou um terceiro. Seu cachorro escapa e morde alguém na rua, uma planta cai da varanda e acerta uma pessoa ou um item da reforma da sua casa prejudicou a casa do vizinho, são exemplos dessa situação.

Algumas operadoras oferecem também a proteção contra enchentes, calculado de acordo com a região do imóvel e o quanto ela representa de risco de cheias em períodos chuvosos.

O seguro pode oferecer ainda serviços adicionais, como assistências 24 horas de chaveiro, encanador, eletricista, entre outros.

O que o seguro não cobre?

A lista de cobertura de um seguro varia de acordo com a empresa. É importante saber o que está sendo contratado: os itens assegurados devem vir descritos no contrato assinado e o consumidor deve estar atendo à sua cobertura para evitar surpresas.

A recomendação é ler o item “riscos excluídos” no Manual do Segurado. Furtos sem vestígio de arrombamento, falhas da construção e defeitos preexistentes são as exclusões mais comuns, de acordo com o diretor de precificação da Tokio Marine Seguradora, Arnaldo Bechara.

O que fazer em caso de sinistro?

Quando acontecer algum evento que causar dano, perda ou prejuízo, avise imediatamente a seguradora. Informe também sobre qualquer alteração feita pelo morador após a ocorrência do sinistro.

A recomendação é de não alterar nada antes do funcionário da seguradora fazer a vistoria. Caso você troque a fechadura após um roubo, por exemplo, pode eliminar uma possível prova de que houve o roubo e levantar suspeita a cerca do sinistro.

No caso de um sinistro relacionado a estrutura da casa provocado por um temporal, avise a seguradora antes de remover destroços ou restaurar a parte danificada. A seguradora vai lhe dar orientações para que você mantenha a prova de que houve o sinistro.

Indenização

O valor das indenizações de um seguro residencial é limitado ao valor contratado em cada cobertura. Por exemplo, se o valor contratado é de R$ 300 mil para incêndio, mesmo que o prejuízo seja maior, o valor pago pela operadora será de, no máximo, R$ 300 mil.

A seguradora tem a obrigação de cobrir tudo o que estiver no contrato. Justamente por isso é tão importante a atenção do consumidor na leitura da apólice do seguro.

A indenização pode ocorrer de três formas: Reparação de danos, reposição do bem por outro da mesma espécie ou em dinheiro. Após o morador abrir um chamado de sinistro na central da operadora, a seguradora vai avaliar o ocorrido e solicitar a documentação do cliente. Em média, o pagamento é feito 30 dias após a entrega de todos os documentos exigidos.

Franquia

As franquias devem obrigatoriamente ser especificadas na apólice do seguro. Geralmente correspondem a uma porcentagem dos prejuízos e têm um valor mínimo. Quando o seguro residencial contratado for o básico, não há cobrança de franquia. Nos demais casos, é bom consultar sempre o contrato.

Sinistros causados por danos elétricos, quedas de aviões, impacto de carros da rua, quebra de espelhos, vidros ou mármores, vendaval, furacão, ciclone, tornado, granizo e fumaça são os casos nos quais há a cobrança de 10% do valor dos prejuízos, com um mínimo estipulado que vai de R$ 70 a R$ 300, de acordo com a categoria do sinistro.

Fatores que influenciam no valor do seguro residencial

O valor deste tipo de seguro dependerá da região onde a pessoa mora e da cobertura solicitada. No sul do país e em Minas Gerais, há o risco maior de vendaval. No Rio de Janeiro, maior índice de roubos a residências. Em São Paulo, por exemplo, há maior risco de enchentes. Esses fatores influenciam no valor do seguro.

Como contratar um seguro residencial?

Primeiro, deve-se avaliar as empresas que prestam este tipo de seguro. Saber se é uma boa marca e se opera bem, e ainda saber o nível de reclamações dos clientes são itens importantes. Avalie também o questionário de riscos feito pela seguradora. É preciso ser bem honesto nas respostas, pois a companhia irá calcular o valor do seguro com base nelas.

E ainda, não se deixe guiar apenas pelo preço menor. A cobertura oferecida é o mais importante nesse ponto, além das garantias de receber aquilo que for contratado caso seja necessário. Avalie todos os aspectos, desde a cobertura e o que não está incluso nela, franquias aplicadas e benefícios agregados, como assistências e sorteios.

Conte com o auxílio de uma corretora de confiança. A Araújo Braz Corretora de Seguros está pronta para lhe prestar todas as informações na hora de contratar o seu seguro residencial. Afinal, são 38 seguradoras representadas, sinônimo de compromisso com a proteção do seu patrimônio e certeza de que a melhor escolha nesse processo será a sua escolha!

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: