O que você precisa saber sobre a Febre Amarela

O verão é a época do ano que se discutem muitos casos de doenças e, na maioria das vezes, mitos são criados por falta de informações e até mesmo costumes antigos. Esse é o caso da Febre Amarela, doença em destaque nos noticiários nesse início de ano.

Com as notícias indicando o aparecimento de alguns casos da doença na região sudeste, é importante ficar alerta às formas de transmissão, contágio e sintomas, assim como a prevenção. Nesse post vamos explicar um pouco mais sobre a Febre Amarela e esclarecer algumas dúvidas que ainda podem pairar sobre sua cabeça.

A Febre Amarela tem mais de um tipo?

A Febre Amarela é classificada em dois tipos, a Silvestre (mais comum e a que tem casos registrados ultimamente) e a Urbana, que não tem casos registrados no Brasil desde 1942.

Qual a diferença entre a Febre Amarela Silvestre e a Urbana?

Ambas são idênticas, causadas por vírus e com os mesmos sintomas. A diferença entre os dois tipos está diretamente ligada à sua transmissão. No primeiro caso, a Silvestre, sua transmissão é feita pelos mosquitos Haemagogus e o Sabethes, que captam o vírus de animais já contaminados com a doença e posteriormente picam pessoas, transmitindo o vírus. No caso da Urbana, a transmissão é realizada pelo mosquito Aedes aegypti (o mesmo mosquito que transmite a dengue, zika e chikungunya), na qual pica uma pessoa já contaminada e transmite o vírus para as próximas pessoas picadas.

Então, os macacos não transmitem a doença?

Não! Há um grande esforço das entidades ambientais para esclarecer esse ponto e evitar a caça aos macacos. Como mencionado anteriormente, os macacos não são transmissores da doença, pelo contrário, eles são aliados ao combate da Febre Amarela, porque servem como indicadores da presença do vírus nas regiões quando identificados mortos pela doença. Os reais transmissores são os mosquitos

Como posso evitar o contágio?

Da mesma forma como se combate a proliferação do Aedes aegypti, conhecido como o mosquito da dengue. Nada de deixar água parada! Elimine objetos que possam acumular água, evitando assim um ambiente propício para que o mosquito deposite seus ovos.

Lembre-se também que mesmo no inverno é preciso ficar atento aos focos dos mosquitos. Esse cuidado é essencial para evitar o aumento de número de casos do tipo Silvestre e para que continuemos sem nenhum registro de caso Urbano. E, além de combater a Febre Amarela, você também combate diversas outras doenças transmitidas por eles.

Fonte: Sompo Seguros

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: