O que fazer quando minha conta bancária for invadida?

Sabemos que o Brasil é o segundo país com maior prejuízo por crimes cibernéticos. Somente em 2017, foram perdidos quase R$ 73 bilhões em fraudes praticadas pela internet. Entre muitas outras práticas ilícitas online, uma quadrilha especializada em desviar dinheiro de contas bancárias aleatórias foi desarticulada após meses de investigação.

Tal quadrilha criou um sistema no qual não só roubava, mas extorquia de outros criminosos para a prática. Em um tempo de avanços tecnológicos, muito se discute sobre segurança de dados. A cada ano, os hackers estão mais criativos e sofisticados na atividade do crime cibernético.

Outros tipos de golpe já foram detectados e impressionam quanto a habilidade dos criminosos em praticá-los: Vão de clones dos sites dos bancos a máscaras de caixas eletrônicos com leitores falsos, passando também por iscas digitais e pelas milhões de mensagens que circulam nas redes sociais, e-mails e aplicativos de mensagens. Além de invasão a contas, os hackers podem conseguir clonar o seu cartão de crédito.

Diante deste cenário, surgem duas perguntas importantes: O que fazer quando perceber uma invasão em minha conta bancária? Quais os cuidados devo ter para evitar o acesso indevido aos meus dados?

Roubaram fundos da minha conta. E agora, o que fazer?

O primeiro passo quando você descobrir que foi vítima de uma fraude é comunicar ao banco e registrar um boletim de ocorrência com todos os detalhes possíveis. A polícia se encarrega de investigar o destino dos valores tomados, com a cooperação dos bancos. Se lhe for negado o ressarcimento, consulte um advogado para saber quais são as opções para entrar com um pedido judicial. Outra medida é guardar cópias dos extratos que mostrem as movimentações indevidas.

Existe uma responsabilidade dos bancos quanto à segurança dos dispositivos oferecidos para o acesso às transações. Porém, não há uma jurisprudência clara que define essa questão no Brasil. Em geral, os bancos restituem valores fraudados, tanto em casos de roubo direto nas contas quanto a compras não reconhecidas no cartão de crédito.

Muitos tribunais já decidiram, em favor dos correntistas, que os bancos são responsáveis pela segurança no acesso às contas. Mas também já houve muitos casos decididos a favor das instituições bancárias quanto ao não ressarcimento de recursos aos seus clientes em situações que a Justiça reconhece o descuido dos clientes. E ainda, em muitos casos, os próprios bancos tomam a iniciativa de restituir ao cliente valores fraudados.

Perigo do mundo real é o mesmo no virtual

Utilizar serviços bancários pela internet é algo comum nos dias atuais. Pagar contas, fazer transferências, verificar o extrato e o saldo, contratar empréstimos, realizar recargas de crédito para celular e uma série de outros serviços estão disponíveis para todos os que optam pelo uso do Internet Bank. Mesmo com o alto risco, muitas pessoas ignoram medidas de segurança e acabam sendo vítimas de golpes.

Devemos estar em alerta sempre, seja no mundo real ou na Internet. E os perigos estão disfarçados e escondidos em detalhes que, por muitas vezes, passam despercebido. Nem mesmo quem faz apenas uma consulta de saldo está imune aos ataques, pois em qualquer rede com acesso à web pode ocorrer vazamento de dados.

Uma recomendação é manter sempre atualizados todos os sistemas, programas e proteções utilizadas, como antivírus e firewall. Cuidado também com extensões presentes nos navegadores web – muitas vezes instalados sem o conhecimento e o consentimento do usuário. Mantenha ainda plugins de áudio, animações e gráficos sempre atualizados. Verifique sempre o plugin Java, que é alvo de muitos golpes. Se desatualizado, pode servir de brecha para ataques.

Quando for realizar uma compra online, veja se a loja virtual possui certificado de segurança. Para tal, basta checar o link na barra de endereço do navegador e saber se ele começa com “https://”. Os navegadores atuais permitem essa verificação inclusive com o ícone de um cadeado antes da barra de endereço, alertando se o site é seguro ou não.

Outra dica sobre segurança é desconfiar de mensagens recebidas por e-mail ou redes sociais contendo nomes de bancos. As instituições bancárias mantém políticas de comunicação restrita com seus correntistas. Procure o gerente da sua conta para saber por qual meio o banco pode lhe enviar notificações, caso necessário. Em alguns casos, o cliente pode optar por ser avisado via SMS a respeito de uma transação realizada.

Ao desconfiar de qualquer comunicação envolvendo o nome de um banco, verifique a procedência da mensagem e analise bem o conteúdo para saber se há uma falsa oferta. Evite clicar em links: tente ver o caminho completo do link antes de realizar alguma ação. Muitos links compartilhados até mesmo via WhatsApp podem fazer com que seus dados sejam interceptados por terceiros mal intencionados.

Veja os 10 principais golpes praticados via WhatApp em 2018 e saiba como seu smartphone pode ser afetado em cada tipo de golpe.

Pequenas adicionais de dicas de segurança

  • Use um dispositivo conhecido: computador, tablet, smartphone que seja de seu uso;
  • Não acesse sites diferentes enquanto estiver consultando o Internet Banking;
  • Troque periodicamente suas senhas, para evitar surpresas;
  • Desconecte-se da web caso detectar alguma irregularidade na conexão;
  • Apague arquivos temporários e o histórico;
  • Na dúvida, entre em contato com o banco por telefone.

 

Qual a melhor opção de proteção para fraudes online?

Para ter tranquilidade quanto a fraudes, os correntistas podem contratar o Seguro Cartão Protegido. As duas principais operadoras deste tipo de seguro no Brasil são a Porto Seguro e a BNP Paribas Cardiff. Os planos oferecem ao segurado a garantia do pagamento, no caso de transações fraudulentas e irregulares, realizadas com cartão de débito ou crédito. São produtos de baixo custo para o consumidor final e com benefício ímpar.

No Seguro Cartão Protegido, o segurado tem cobertura sobre transações indevidas realizadas em seu cartão em caso de perda, roubo, saque e compra sob coação, exceto se decorrente dos riscos excluídos. As coberturas principais do Cartão Protegido são:

  • Saque ou compra sob coação
  • Roubo em caixa eletrônico
  • Furto ou Roubo da Bolsa

Podem ser combinados com a extensão ao Seguro Bolsa Protegida, como no caso da Porto Seguro, já ser um produto único. Este seguro dá direito a indenização em caso de roubo ou furto qualificado de bolsas ou mochilas para reposição dos principais itens: carteira, telefone celular, óculos de sol ou de grau, cosméticos, perfume e chaves. Outra extensão que pode ser incluída é o Seguro de Responsabilidade Civil.

Quer contratar esta proteção? Entre em contato com a Araújo Braz Corretora de Seguros e peça sua cotação. Prestamos toda a assessoria na hora de contratar qualquer modalidade de seguro, plano de saúde, consórcio ou previdência privada. Oferecemos todas as informações e simulações necessárias para que seja feita a melhor escolha: a sua escolha!

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: