Índices de violencia diminuem em MG, mas os riscos sempre estão presentes

Minas Gerais teve queda no número ocorrências de roubos ou furtos com relação aos dois últimos anos. A diminuição dos assaltos no estado alcançou 14%, enquanto a redução somente em Belo Horizonte foi de 17%. Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MG).

O secretário de Segurança Pública, Sérgio Barboza Menezes, destacou que apesar da queda, a prática de roubo representa uma incidência criminal importante e está ligada diretamente à sensação de insegurança.

Houve redução em oito dos 12 indicadores criminais, de acordo com os dados divulgados pela Sesp-MG: além de roubo e furto, tiveram queda homicídio consumado, homicídio tentado, lesão corporal, estupro tentado, extorsão e extorsão mediante sequestro.

Na contra-mão, aumentaram as incidências de estupro consumado, estupro de vulnerável consumado e tentado, além de sequestro e cárcere privado.

Vale ressaltar que são dados que fazem parte de uma estatística de crimes denunciados, ou seja, casos registrados em delegacias. Segundo o delegado-geral chefe da Polícia Civil mineira, João Octacílio Silva Neto, mais vítimas tem sido encorajadas a prestar queixa.

Veja também: A importância dos seguros diante da crescente violência urbana

Você está assegurado?

Registrar um boletim de ocorrência é o primeiro passo após sofrer algum dano ou sinistro, seja corporal ou material. E o primeiro ato a se fazer também caso você tenha algum seguro. É a partir desse documento que o tramite de terminará na indenização.

Portanto, informe ao corretor e à seguradora sobre a ocorrência do sinistro e receba orientações sobre os documentos exigidos para que a indenização seja efetuada mais rapidamente. Verifique as condições gerais estipuladas em sua apólice e saiba como e quais documentos você vai precisar enviar à companhia de seguros.

Estamos sujeitos a todos os tipos de infortúnios, mesmo no conforto de nossos lares. Queremos sempre evitar que a violência urbana nos atinja de alguma forma, seja por furto em residência, assalto seguido de agressão ou lesão corporal, roubo de carro ou alguma outra circunstância que nos impeça de exercer nossas atividades.

Os seguros nos garantem o auxílio necessário, seja qual for a categoria: vida e acidentes pessoais, seguro de veículos, residencial, celular e tablet, seguro viagem e até mesmo os planos de saúde. E vão muito além das coberturas, com os benefícios e assistências que podem proporcionar redução ou eliminação de custos.

Indenizações

De acordo com a resolução 117/2004 do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), as seguradoras tem prazo máximo de 30 dias a partir da entrega completa dos documentos para quitar a indenização. O atraso no pagamento gera multa, juros e correção do valor da indenização pelo índice de inflação previsto no contrato.

Vale ressaltar que todas as exigências das seguradoras para solicitar e obter indenização devem ser cumpridas, assim como a prova de que houve o sinistro, boletins e atestados médicos, tudo para evitar mais dores de cabeça além do infortúnio em si.

Caso haja alguma dúvida por parte da seguradora e esta solicite nova documentação, o prazo pode ser reiniciado e a prestadora deverá fundamentar o que lhe gerou o desentendimento. O pedido de indenização pode ser recusado se o evento não esteja dentro das coberturas previstas pelo seguro, ou faça parte dos riscos excluídos, ou ainda tenha sido comprovada má-fé do segurado.

Você tem alguma dúvida sobre seguros?

Mande sua mensagem para a ab. Corretora! Estamos prontos para esclarecer suas questões e prestar toda a assessoria necessária em seguros, planos de saúde, consórcios e previdência privada. #aoseuladosempre é a nossa marca!

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: