Como evitar a clonagem do seu WhatsApp

O aplicativo de mensagens instantâneas e chamadas de voz WhatsApp é bastante popular e por isso tem sido alvo dos mais diversos tipos de golpes online. Nos últimos dias, uma onda de golpes vem afetando usuários, principalmente da classe política, vitimas de clonagem.

Números de WhatsApp clonados são usados para aplicar mais golpes. Para saber como o golpe é aplicado, é preciso entender como o aplicativo funciona. O cadastro nele é muito simples: não pede nome de usuário nem senha, apenas um número de celular que o WhatsApp verifica com um código via SMS. O número é utilizado para se cadastrar e, numa eventual troca de aparelho, para recuperar a conta.

Conheça os 10 golpes mais praticados no WhatsApp em 2018

Por esse método, só seria possível burlar o cadastro caso a mensagem de SMS seja interceptada ou se o chip do usuário for acessado por um invasor. Esse tipo de golpe é praticado por pessoas mal intencionadas com acesso ao sistema das operadoras, seja legal ou via hacker.

Embora chamado de “clonagem do WhatsApp”, na prática o que ocorre é a substituição do aparelho para a conta ativa. Afinal, não é possível que dois celulares utilizem a mesma conta do aplicativo ao mesmo tempo. A vítima perde o sinal da operadora após seu chip ser desativado e o golpista consegue a ativação do WhatsApp no novo chip. Uma dica neste caso é verificar se o sinal da sua operadora está ativo. Caso perca o sinal e ele não volte, o golpe pode estar sendo aplicado em sua conta.

Ao “clonar” o WhatsApp da vítima, o golpista inicialmente não tem acesso à agenda de contatos e nem ao histórico de conversas. Ambos ficam armazenados no smartphone original. Porém, o invasor passa a receber as mensagens e tem acesso aos grupos – onde são aplicadas a maioria das tentativas de extorsão. A única maneira de acessar o histórico de conversas é hackear o backup na nuvem. Se as credenciais do Google ou da Apple forem acessadas pelo golpista, então o aplicativo permitirá restaurar esse backup.

Como se proteger?

A partir de 2017, vem sendo possível se proteger deste golpe graças ao recurso da verificação em duas etapas.

Ao ativar esse recurso, o aplicativo pede ao usuário para que digite um PIN, que é uma senha de seis dígitos. Também é dada a opção do cadastro de um e-mail, para recuperar o PIN caso seja esquecido.

Agora, com a verificação em duas etapas ativada, sempre que for trocar de smartphone e tentar ativar o WhatsApp, será solicitada a informação do PIN. Este recurso dificulta a ação de quem estiver tentando obter acesso à sua conta.

Porem, o PIN tem um prazo de validade. Se você deixar de acessar o WhatsApp por sete dias, a senha deixa de ser exigida para ativação em novo aparelho. Esse período é suficiente para notar algo de errado na sua conta telefônica. E após 30 dias inativa, a conta é excluída – com todas as informações, conversas e grupos – e será necessário criar uma nova.

O PIN pode ser recuperado por e-mail. E ainda, o próprio aplicativo solicita periodicamente que o usuário insira a senha, para que esta não caia no esquecimento.

Verificação dupla em tudo

No campo da segurança digital, a verificação em duas etapas exige dois dados: uma senha que você sabe e um token que você tem armazenado em um cartão ou combinação de números, letras ou ambos. Funciona como aquele chaveiro que alguns bancos oferecem aos seus correntistas, com uma determinada combinação numérica que é ativa por determinado período de tempo.

No WhatsApp funciona de forma invertida: trabalha com o número que você tem, no caso o seu telefone, e quando ativada a verificação dupla, lhe pede uma senha – o PIN.

Atualmente, vários serviços disponibilizam esse tipo de verificação em duas etapas: e-mails, redes sociais, armazenamento na nuvem, contas atreladas ao Android ou ao iOS. Muitas vezes essa verificação é feita com o auxílio do SMS, no qual é enviado um código de confirmação ao usuário.

Como ativar a verificação dupla no WhatsApp

  1. Toque no ícone “Ajustes” e selecione a opção “Conta”;
  2. Toque na opção “Verificação em duas etapas”;
  3. Toque em “Ativar”
  4. O aplicativo lhe pede inserir uma senha de seis digitos.
  5. Repita a senha para a confirmação que o app pede.
  6. O WhatsApp lhe pede informar um e-mail para recuperação de conta.
  7. Insira novamente o e-mail para confirmar e toque em “OK”.
  8. A verificação em duas etapas será ativada na conta após um curto tempo de espera, com uma mensagem no visor.
  9. Pronto! Sua nova configuração está ativa. Caso necessite, você pode alterar o PIN ou o e-mail a qualquer momento. Basta voltar nesta tela de ajustes.
Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: