Como ensinar ao meu filho o que é o perigo?

Os primeiros passos de um bebê sempre são acompanhados de riscos, sejam grandes ou pequenos. Nessa fase há a preocupação com sustos e infortúnios. Pequenas quedas, picadas de animais ou insetos, fios fáceis de serem puxados… pequenas armadilhas presentes no ambiente do lar.

Os pequenos não conseguem perceber o perigo. Atras do desenvolvimento da criança, pais e mães correm para evitar acidentes e salvá-los de qualquer ocorrência ruim. Principalmente após os seis meses, período no qual começam a descobrir o mundo ao redor e aguçam a curiosidade.

Porem, sabemos que essa vontade de explorar o que está em volta é muito maior do que a própria coordenação motora. Para eles, vale mais o risco para ter a experiência de conhecer e brincar. É fundamental proteger nossos filhos de possíveis acidentes e ensiná-los sobre as circunstâncias perigosas, fazendo-os entender o que é o perigo.

Meu filho entende o que é perigo?

O bebê desenvolve primeiro suas emoções afetivas, sensoriais e motoras, segundo a visão dos psicólogos. Há um longo processo de desenvolvimento que consiste no entendimento das regras, do conceito de perigo, da abstração e do comportamento, o qual só é completo aos 18 anos de idade.

Entre os 10 e os 12 anos de idade, a criança já consegue ter uma noção de prever riscos, porém isto depende do ambiente, da educação recebida e da instrução sobre os perigos da vida comum.

Nos bebês, sensações de perda ou afastamento são as que mais causam reações emotivas que relacionamos ao medo. Eles ainda não possuem capacidade cognitiva para distinguir situações de perigo real – se há um buraco no caminho, se há um animal peçonhento perto ou se a quina do móvel pode machucá-la, por exemplo.

Veja também: Dicas essenciais para evitar acidentes com crianças

Perigo não deve ser sinônimo de medo

Crianças superativas são motivadas por uma curiosidade voraz e, dependendo do nível de desenvolvimento psicomotor, são altamente propícias a se colocarem em situações de risco. Nessa situação, é importante ficar em alerta para se antecipar a qualquer evento e não deixá-la sozinha.

Se o perigo aparecer, use-o como meio de explicar o que pode acontecer e quais os danos podem ser provocados, mas sem que isto se torne uma aula de terror. Ensine-o regras básicas de segurança e faça com que ele mesmo compreenda as consequências e aprenda a evitar tais situações.

Outra medida interessante é eliminar as “armadilhas” da casa, com adaptações de segurança, como fechos, cercas para escadas e terraços, protetores de tomadas, protetores de quinas. Além disso, trancar em local seguro materiais que podem ser nocivos às crianças, como os de higiene e limpeza. Porém, tirar os obstáculos não garantem 100% de segurança, pois ainda assim, podem ocorrer quedas e batidas.

Aprendizado próprio

As crianças devem aprender por si mesmas as limitações do perigo e ser precavida. A noção de perigo vem com o crescimento. Aos 5 ou 6 anos, ela já ganha maior conhecimento do mundo e dos riscos que a cercam, com experiências de tombos e machucados, associados à dor. O cuidado materno excessivo pode ser prejudicial para a formação e comportamento futuro.

Especialistas acreditam que as crianças evitam atividades perigosas não por entenderem o perigo, mas sim para não sentirem dor novamente. A ideia de perigo por meio de uma inteligência prática começa a partir dos 10 anos. A recomendação é ensinar de forma lúdica, com exemplos tirados de canções, histórias e programas de TV. Dessa forma, a criança pode assimilar sentimentos com base em histórias reais.

6 dicas para ensinar seu filho sobre o perigo desde cedo

Os bebês precisam conhecer o mundo por si mesmos. Pais devem agir como suporte, minimizando os riscos e evitando acidentes. Veja seis dicas a respeito:

  • Ensine seu filho a manter a calma;
  • Alimenta a confiança em si mesmo para que a criança explore o ambiente por seus próprios meios;
  • Explique a ela o que significa perigo;
  • Mostre quais são as consequências de seus atos;
  • Use exemplos claros sobre situações e como evitar os perigos;
  • Utilize situações lúdicas para mostrar o que pode ser perigoso.

Futuras mamães também precisam de cuidados! Saiba sobre dicas de segurança durante a gravidez.

Com informações do blog Sou Mamãe

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: