Campanha de vacinação contra a gripe começa no dia 23 de abril

A Campanha de Vacinação contra a Gripe 2018 terá início no dia 23 de abril (segunda-feira). Normalmente a campanha é realizada nos meses que antecedem o inverno. Surtos de gripe que ocorreram em outros países nos fazem ligar o sinal de alerta aqui no Brasil.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) alterou a data de início da campanha, prevista para começar no dia 16 – uma semana antes – em função do abastecimento de vacinas em todos os postos.

Desde o início do inverno no hemisfério norte, 47 mil casos de gripe foram confirmados e pelo menos 20 crianças morreram. O vírus que está se espalhando é o H3N2, um subtipo do Influenza A. Este e o H1N1 são os tipos de vírus que circulam no Brasil.

As vacinas contra a gripe são tri ou quadrivalentes, ou seja, protegem contra três ou quatro tipos do vírus. As doses sempre contêm imunização para influenzas H1N1, N3N2 e B.

Casos em Minas

A SES-MG divulgou os primeiros casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave, causada pelo vírus Influenza em Minas Gerais. Até o mês de março foram notificados 221 casos, sendo oito contaminações por Influenza e 14 como outros vírus respiratórios, de 130 amostras coletadas para exames.

Belo Horizonte foi a cidade com maior índice, com quatro casos confirmados de Influenza A/ H3 Sazonal. Nenhuma morte foi registrada até então.

A doença

Após a pandemia de Influenza A/ H1N1 em 2009, medidas de prevenção, controle e tratamento começaram a ser amplamente divulgadas pelas autoridades públicas.

A vacinação é uma forma eficaz de combate à doença, com a redução de até 45% do número de internações por pneumonias, redução de 50% de casos de doenças relacionadas à gripe e redução de até 75% da mortalidade global.

Além da vacina, ações de prevenção da transmissão do vírus incluem higiene correta das mãos e etiqueta respiratória.

Complicações

O quadro clínico da Influenza costuma ser o mais grave. Ocorre febre alta, calafrio, dor de garganta, tosse, mialgias e cansaço. Em casos mais extremos, pode ocorrer pneumonia viral ou bacteriana, síndrome da angústia respiratória e até óbito. Os grupos de maior risco são crianças abaixo dos 5 anos de idade, idosos, gestantes, puérperas (pós-gravidez) e pessoas com patologias clínicas.

Como se prevenir?

Além da vacinação, é preciso redobrar o cuidado com a higiene das mãos e evitar locais fechados com grande concentração de pessoas. Evite tossir nas mãos, utilize lenços descartáveis. Lave sempre as mãos com água e sabão e use álcool gel. Mantenha os ambientes com ventilação e não compartilhe objetos de uso pessoal.

Quais os efeitos da vacina?

Logo que a vacinação ocorre, os primeiros efeitos já podem ser sentidos, como dor local, endurecimento e vermelhidão, que podem durar até 48 horas. Raramente as vacinas provocam efeitos colaterais como febre e dores musculares.

Mesmo com gripe, posso tomar a vacina?

Sim, desde que não esteja com febre. Porém, a dose não fará efeito sobre a gripe corrente. O objetivo da vacina é evitar o contágio em casos de surtos posteriores. A infecção já instalada deve ser devidamente tratada até sua cura. Vale destacar que a vacina também não provoca a gripe, uma vez que é produzida com o vírus inativado, incapaz de provocar nova infecção.

Caso o paciente esteja com febre provocada pelo Influenza, deve procurar orientação médica com urgência.

* Atualizado em 3 de abril, as 08h12, com informações do Portal UAI.

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: