7 dicas para evitar que a ansiedade se transforme em gula

Quem nunca recorreu à comida para aplacar um momento agudo de ansiedade? Se isso acontece só de vez em quando, tudo bem. O problema é quando perdemos o controle e começamos a exagerar no consumo de alimentos cheios de açúcar, gorduras e calorias, que podem prejudicar nossa saúde e a boa forma.

Como sabemos, nosso estado emocional influencia – e muito – nosso comportamento alimentar. Por isso é bom prestar atenção aos nossos sentimentos para não comer de forma excessiva ou descontrolada. Para não atacar a comida em momentos de ansiedade, confira a seguir algumas dicas reveladas pela educadora física e especialista em nutrição Paola Machado.

Mentalize o ciclo vicioso

Comer sem parar não vai aliviar o seu estado de ansiedade. Na verdade, a comilança pode ter o efeito oposto e gerar mais desconforto e preocupação com o peso, que por sua vez vai aumentar a ansiedade — que novamente vai disparar o gatilho de comer e por aí vai.

Esvazie a despensa

Para não cair em tentação nos momentos emocionais mais agudos, evite estocar em casa alimentos engordativos, como doces, chocolates, bolos, biscoitos recheados e tudo mais que parece apetitoso para aplacar um momento de ansiedade.

Tenha frutas à mão

Nem sempre dá para controlar o impulso de comer, mas podemos escolher melhor os alimentos. Em vez de atacar um chocolate, que tal matar a vontade de açúcar comendo frutas? Para facilitar, deixe frutas lavadas e picadas sempre disponíveis na geladeira.

Nada de pacote

Deu vontade de comer? Não dá para controlar? Então controle a quantidade. Em vez de comer um bolachas, amendoim e salgadinhos direto do pacote, separe uma porção adequada em pratos e potes para minimizar as chances de comer além da conta.

Aposte no triptofano

Tenha sempre no cardápio alimentos ricos em triptofano, que ajuda nosso organismo a produzir serotonina, o hormônio do bem-estar. Algumas boas fontes são o leite, o iogurte, as nozes, a banana, o queijo branco, o abacate, as castanhas e a soja.

Não esqueça o ácido fólico

Alguns nutrientes ajudam a converter o triptofano em serotonina: são o ácido fólico (presente na lentilha, no quiabo, no espinafre e no brócolis), a vitamina B6 (banana, salmão, melancia e uva) e o magnésio (avelã, tofu e acelga).

Divirta-se

Arranje um tempo na agenda para fazer aquilo que te dá prazer, como caminhar, ler, dançar, ver um filme ou conversar com os amigos.

Fonte: Blog Bradesco Vida e Longevidade

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: