10 principais golpes praticados via WhatsApp em 2018

Mesmo apenas no terceiro mês do ano, o cibercrime continua a todo vapor. De acordo com o levantamento da Kaspersky Lab, somente em janeiro foram mais de 2,5 milhões de vítimas em golpes via WhatsApp.

Dentre as empresas mais recentes a terem seus nomes atrelados a golpes estão Walmart, Assaí, Caixa Econômica, Burger King, Kibon, Spotify, Banco do Brasil, Santander, O Boticário, Lojas Americanas e Senac.

Porém, o golpe mais praticado em 2018 tem sido a oferta de falsas vagas de emprego em diferentes plataformas, como WhatsApp, SMS, redes sociais, ou e-mail. Tais golpes foram aplicados tanto para roubar dados quanto para distribuir conteúdos maliciosos, como vírus ou malwares que podem monitorar as atividades das vítimas.

Listamos aqui os 10 principais golpes praticados via WhatsApp em 2018:

1 – Vagas de emprego falsas

Este tipo de ataque oferecendo vagas de emprego são mais comuns no começo do ano, pois é um período em que há mais vagas disponíveis. O objetivo dos cibercriminosos é atrair usuários com supostos processos seletivos e obter permissão para enviar outros golpes por meio de notificações no celular. Em janeiro, uma oferta em nome da Cacau Show atingiu 1 milhão de cliques em apenas 24 horas.

2 – Conta gratuita no Spotify

Campanha maliciosa que promete uma conta gratuita no serviço de streaming de música. As mensagens recebidas possuem um link apontando para os domínios “spotiffy.net”, “spotify-br.com” e “spotify-usa.com”, que foram registrados por criminosos. O golpe continua após o acesso: a vítima é coagida a compartilhar o link para ativar sua conta gratuita. Somente no Brasil, mais de 130 mil usuários clicaram no link enganoso.

3 – Amostra grátis da Boticário

As mensagens envolvendo a grande marca de cosméticos utiliza-se de uma campanha verdadeira. Hackers se aproveitaram da oferta de amostra grátis de um dos produtos da marca e atraíram usuários para cadastrarem seus dados em um link falso, uma vez que todo o processo da oferta verídica é feita somente no site oficial da empresa.

4 – Plano de saúde gratuito por um ano

Outra campanha falsa disseminada no app de mensagens promete um ano gratuito de plano de saúde em nome da Unimed, em troca de dados das vítimas. Nessa tática, os criminosos induzem as vitimas a enviarem dados pessoais e bancários em páginas supostamente verdadeiras. A falsa página ainda continha instruções de procedimentos, como o compartilhamento do link, com a premissa de validar a adesão a gratuidade do plano.

5 – Cupom de descontos

A mensagem recebida diz que uma grande loja de varejo oferece descontos para os usuários do WhatsApp. Para ter acesso aos descontos, é preciso “gerar” um cupom e compartilhar a oferta com os seus amigos. O link clicado permite descarregar malwares no seu smartphone ou a uma página de pesquisa para roubar os seus dados.

6 – Novos emojis

Mensagens prometendo um novo pacote de emojis para o app levam o usuário a baixar um arquivo e compartilhar com 10 contatos ou 3 grupos diferentes. Além de espalhar o golpe, o usuário faz o download de malwares que enchem os navegadores com pop-ups, tornam o smartphone lento e ainda lhe pedem para baixar outro app que promete corrigir os problemas do dispositivo afetado. Algo completamente irritante!

7 – Kit de maquiagem para o Dia da Mulher

O mais novo tema explorado pelos hackers é o Dia Internacional da Mulher. Assim como em outros golpes, a vítima é convidada a compartilhar a mensagem para receber um kit especial. A promoção falsa contém diversos anúncios e links para conteúdos maliciosos. Fraudes assim também chegam por meio de notificações em navegadores web.

8 – Mais créditos para o seu celular

Fuja das promessas de créditos grátis no seu plano de telefonia. Além de lhe forçar a encaminhar a mensagem aos seus contatos, o link pede a confirmação do número do telefone e acaba por gerar o cadastro em serviços de SMS indesejados, que lhe cobrarão um valor semanal a ser descontado em seus créditos ou em sua conta.

9 – CNH gratuita

Sob o nome de CNH Social, a página fraudulenta fornece uma inscrição falsa para a obtenção de uma carteira de habilitação grátis. Embora o CNH Social exista de verdade, ele está presente em alguns estados brasileiros e com uma série de pre-requisitos, diferentemente das informações contidas na página falsa. Além da permissão dos usuários para receberem mais notificações criminosas, o objetivo dos hackers também era o de vender as informações sigilosas obtidas.

10 – Promessa do “14º salário”

Este golpe usou o nome da Caixa Econômica Federal sob a premissa de pagar o valor de R$ 1760,00 a aniversariantes de janeiro a junho. Chegou a atingir 350 mil pessoas em apenas três dias, de acordo com os dados da PSafe, fabricante do antivírus para smartphones.

Nele, as perguntas respondidas pelos usuários geravam a permissão das notificações nos navegadores e um cadastro em um serviço premium de SMS, que pode descontar créditos ou aumentar a conta de telefone das vítimas.

A informação do golpe pode ser facilmente confundida com o pagamento do abono salarial realizado pelo Governo Federal neste período do ano.

Fuja dos golpes e dos anúncios

Propagandas elevam o consumo da bateria e do processamento do seu smartphone, prejudicando o seu desempenho. Além disso, há a promessa de que certos aplicativos podem consertar o seu aparelho. Porém, muitas das vezes, esse tipo de aplicativo também atua a favor do crime virtual.

WhatsApp pago e WhatsApp Gold

São duas coisas que não existem. Muitos de seus amigos já lhe enviaram uma mensagem dizendo que o WhatsApp deixaria de ser gratuito. Se você já recebeu, saiba que é mais um golpe espalhado por aí.

Outra mensagem pede que você baixe a versão Gold, que na verdade não existe. O link te leva um site onde diversos malwares são instalados em seu smartphone. Então, evite clicar em qualquer link que lhe prometa turbinar o aplicativo de mensagens, pois isso não existe de fato.

Dicas

Assim como em outros meios, não existe risco se você apenas receber a mensagem. O problema ocorre quando você clica nos links e digita os seus dados em formulários enganosos e as envia, seguindo os procedimentos sugeridos pelas mensagens do golpe.

Evite clicar em links suspeitos e não envie nenhuma informação solicitada sem antes checar a veracidade dos argumentos e a procedência de tais links. Sempre desconfie de ofertas exageradas e verifique se as informações constam nos sites das empresas ou órgãos do governo.

Normalmente as empresas ou entidades emitem comunicados em seus perfis sociais e sites sobre a utilização de seus nomes por golpistas. Utilize as redes sociais para acessar os perfis oficiais para se atualizar sobre as informações propostas nas mensagens que você receber.

Qualquer oferta que lhe exija compartilhar links com os seus contatos, seja via WhatsApp, Facebook, SMS ou outra rede social, é suspeita. Embora algumas ofertas sejam legítimas, é um truque muito comum entre os golpistas para que as próprias vítimas divulguem a fraude.

Empresas que oferecem cupons de descontos não utilizam dos aplicativos de mensagens para tal finalidade, nem mesmo pedem para que você faça downloads. Algumas empresas disponibilizam aplicativos oficiais com cupons de descontos ou utilizam sites seguros para este tipo de oferta.

Verifique a validade do aplicativo e baixe-o somente nas lojas oficiais App Store para usuários iPhone ou Play Store para usuários Android. Evite baixar aplicativos fora das lojas oficiais.

 

Facebook Comments
%d blogueiros gostam disto: